sábado, 13 de dezembro de 2008

Ser Espírito


O entendimento do ser espiritual é de grande importância para o despertar, o acordar e o fortalecer dos ideais de um Espírito dentro de seus compromissos assumidos como proposta evolutiva.
O que é o Espírito?
“O princípio inteligente do Universo. Com a linguagem. não é fácil de ser analisado. Porque o Espírito não é uma coisa palpável”. (L.E. perg. 23)
O Espirito, por sua essência espiritual, é um ser indefinido, abstrato, que não pode ter uma ação direta sobre a matéria, sendo-lhe indispensável um intermediário, que é o envoltório fluídico, o qual, de certo modo, faz parte integrante dele. É semi-material esse envoltório, isso é, pertence à matéria por sua origem e à espiritualidade pela sua natureza etérea. (Gênese- cap. XI).
Sua natureza confunde-se com a natureza divina. A vida emana do Espírito imortal, é nele que vamos dar o enfoque central de todo o trabalho e é para ele que vai convergir nosso esforço de acordá-lo conscientemente, para que perceba, compreenda suas variadas formas de apresentação, faculdades e desequilíbrios, que se manifestam nessa escola regeneradora de almas que é a Terra.
Para estudar o Espírito, compreendê-lo e educá-lo é de fundamental importância que se compreendam sua natureza, seus compromissos e as conseqüências futuras de seus atos.
Compreender o ser espiritual é conhecer profundamente o que é ser Espírito, sua formação energética, sua dimensão, sua manifestação física ou extrafísica, sua ambientação nos diversos mundos do Universo.
É desvendar necessidades evolutivas e descobrir quais são os mecanismos envolvidos para desenvolver as potencialidades que marcam o nível de evolução perante sua construção mais íntima e que são conhecidas como personalidade do ser espiritual.
A visão centrada na manifestação física do Espírito dificulta o entendimento de sua transcendência, que é o fator mais importante. Enquanto não houver uma plena conscientização de que a vida está centrada no Espírito, sendo ele o planejador de sua existência, não há como mudar o pensamento, o sentimento e os atos que geram dificuldades e perturbações.
Grandes são os estágios que promovem o acordar do Espírito criado por Deus, dotado de inteligência, razão e sentimentos. Sua constituição intrínseca não nos é dado saber ou compreender. Traz o Espírito em forma latente o pensamento, a vontade e a consciência.
Tudo vai desabrochando à medida que o Espírito vai deparando com as oportunidades existenciais que lhe propiciam sensações, estímulos das mais variadas formas, que lhe dão o direito de participar, experimentar e sentir.
Esses estágios são progressivos, vão sendo trabalhados durante milhares de anos, passando o Espírito por períodos mais curtos e mais longos, dependendo do meio e dos estímulos que recebe.
Nesse experimentar, através das primeiras sensações, vai o Espírito desenvolvendo sua inteligência, fazendo aparecer a razão. Na vontade de acertar, defender, alimentar-se, construir, amparar, vai o Espírito experimentando oportunidades que lhe garantem o progresso.
Essas formas intrínsecas e naturais dão ao ser espiritual características individuais que, aos poucos, vão sendo conhecidas como personalidade do Espírito. Isso aos poucos vai definindo os novos compromissos abraçados pelo Espírito perante sua natureza íntima, que renova e transforma mediante os atos que ele programa.
Todas as manifestações do Espírito são definições do comportamento desse ser que inicia ou desenvolve suas características modificando a personalidade em seu todo.
As diversas metas evolutivas, vão permitir ao Espírito aos pouco alcançar os domínios do discernimento, sentindo as vibrações de alegria ou de tristeza perante os atos realizados.
Esse trabalho lento, porém operoso, desenvolvido durante tantos milênios, dá ao Espírito condições de avançar e exemplificar.
Entre as idas e voltas ao mundo espiritual, ou seja, reencarnando-se e desencarnando-se, vai desenvolvendo e compreendendo suas potencialidades, interrelacionando-as entre as sucessivas existências e manifestando sua ação progressiva quando encarnado, ou seja, Espírito/Homem.
Compreendendo o pensamento como potencialidade maior a ser trabalhada junto com a vontade, vai o Espírito definindo seus compromissos impulsionado com um querer que lhe dará condições de avançar: É o estado de discernimento, que o Espírito passa a perceber e sentir.
O pensamento, movimentando uma energia de vibrações, fortalece toda a estrutura energética, dando ao cérebro físico melhores condições de ser receptor e transmissor dos estímulos.
A vontade, fortalecida por vibrações que promovem o armazenamento de novas energias, passa a dar ao pensamento uma vibração harmoniosa, que lhe permite sentir as ações do bem, de forma que passa a intensificá-lo.
A natureza dessas vibrações está intimamente ligada ao meio e às condições evolutivas do Espírito, que demonstra isso através de seu pensamento, de sua conduta, de sua moralidade.
As energias do Espírito, são perfeitamente modificadas pelo seu esforço, pelo seu conhecimento, por suas práticas, que vão definir sua evolução e crescimento.
A preocupação de Jesus para com a Humanidade foi justamente essa, a de ser Mestre para ensinar o Espírito a se descobrir e a crescer, dando as diretrizes que viriam modificar as ações mentais construtoras das energias que vinculam aos sentimentos do Espírito.
Esse elo entre Jesus e a Humanidade é de ordem energética, é um fluxo de força reparadora e construtora na intimidade do ser espiritual. Por isso, não se pode viver sem a verdade.
O Evangelho do Mestre passa a ser compreendido como formas norteadoras e consoladoras do Espírito. Ele promove o desejo de avançar, desperta os sentimentos, vibra a razão, manifesta a vontade, dando o sinal que impulsiona o Espírito a mudar, a construir outros pensamentos, outros atos. Assim repercute no Espírito a ação de acordar, de despertar.
Nessa busca de afirmação e de conscientização, que nos torna peregrinos da compreensão do Evangelho, fonte inspiradora de nossos acertos, meta que procuramos atingir, alimentados pelo desejo de estar com Jesus, o Espírito define seus compromissos como opção maior de aproximação do Mestre.
Deus, como Pai, permite-lhe o tempo necessário para essa aproximação. Surgem assim os Espíritos que compreendem a finalidade da vida e que auxiliam no entendimento dessa verdade aqueles que não conseguiram se definir e permanecer nos ideais maiores que já vislumbraram e não perseveraram.
Surge o ser espiritual lúcido, consciente que, encarnado, aparece como trabalhador sincero, fiel aos ensinamentos de Jesus, com pensamentos firmes, fortes e posturas definidas.
Nesse avançar do entendimento, percebe o Espírito sair das grades de sua prisão, conquistando os valores nobres do pensamento, trocando as grades mentais pelas asas da liberdade que tanto anseia.
No campo do compromisso, sabemos que o Espírito, viajor eterno, a cada momento que retorna ao Plano Espiritual, revê num acerto profundo toda sua vida. Ao analisar esse acerto, pode sentir o avanço, como também a estagnação. A cada etapa vencida, modificações grandiosas vão se operando na intimidade da construção energética do Espírito.
Cada programação a ser realizada é uma nova oportunidade de avançar, de crescer. Com vontade de acertar, abraça novos compromissos, reestruturando-se para avançar. Esse compromisso é planejado perante as necessidades do Espírito e sua capacidade de atuação em desenvolver suas potencialidades a ponto de grandes transformações.
São esses compromissos que vão garantir o êxito de sua evolução, tendo de ser despertados pelo pensamento vibrante de servir Jesus. Quanto mais cedo o Espírito recebe esse sinalizador, mais rápido é o despertar para o trabalho. Nesse mecanismo sublime de assumir propostas e definir tarefas, é auxiliado pelos Espíritos que são responsáveis pelo seu caminhar evolutivo.
Compromisso é uma escolha, uma opção gerando conseqüências múltiplas para o ser espiritual, por isso conclama amparo e ajuda constante.
Alimentado pela vontade de crescer e evoluir surge o desejo maior, o de auxiliar o outro conforme tem sido auxiliado. Percebe-se, portanto, que os fatos que buscam seu planejamento e definem seus compromissos estão assentados nas múltiplas existências do Espírito.
O compromisso é um contrato que fazemos para realizar algo com alguém, visando a um fim comum, que é o crescimento moral de cada ser.
Todo compromisso traz a marca da personalidade, do caráter de quem realiza.
Ao programar sua reencarnação, o Espírito percebe uma série de dificuldades a serem resgatadas. Toda programação visa ao bem-estar, à luta para progredir.
Essa luta são os fatores que interferem no crescimento do Espírito e aparecem como conflitos, dificuldades múltiplas que o levarão a mudar e a educar-se.
Essa programação inclui todos aqueles que deverão resgatar ou considerar situações que provocarão mudanças na forma de ser, de pensar e sentir, modificando assim o campo evolutivo.
Nesse contexto de acertos com finalidades de evolução depara o Espírito com chamamentos que não podem fugir face as vicissitudes de crescimento e melhora íntima.
O planejamento do compromisso envolve todos os aspectos do ser espiritual tais como o trabalho profissional e o esforço de vencer. O trabalho profissional irá colocá-lo frente as suas necessidades, permitir-lhe o contato com as pessoas que irão auxiliá-lo mudar, vivenciar situações que atingem seus sentimentos, razão e inteligência, burilar atitudes, pensamentos e relacionamentos. Já o esforço de vencer irá garantir-lhe opções valorosas e de grande aprendizado.
O Espírito reencarnante, tendo uma visão ampla de seus reajustes e acertos, procura definir propostas de acertos e trabalhos e, executando-as, alcança maturidade espiritual. Se há falhas, se entristece, procurando assumir uma postura digna; mas, quando isso não acontece, tudo fica registrado como uma forma de tristeza e invigilância. O trabalho é um veículo valioso para nosso progresso espiritual.
Tem o Espírito outros tipos de relacionamento que estão ligados aos seu compromisso evolutivo: o do afeto, o da educação que promove em cada ser uma quota de mudança, o de equilíbrio da manutenção de suas vibrações.

2 comentários:

Livinha disse...

Taí Josito, conforme pedido de S.O.S rss

Espírito, essência maravilhosa que Deus assim fez para amar, cuidar, e dar continuidade ao realização Divina em prol de nós mesmos. Que nos fez entender que temos obrigação, mas nos deu o lívre arbítrio para executar as nossas tarefas dentro do sim e do não. Nada nos impõe, nos recepciona, promove e sempre nos entrega a oportunidade, compreendendo a nossa ignorância quando não as abraçamos e entregamos tudo ao léu diante de nossa preguiça, nossa entrega aoa prazeres quando as facilidades nos soa como a verdadeira tentação... E ele, nosso Pai maior, criador do céu e da terra, ainda assim nos compreende e deixa a nossa vontade o querer subtrair em troca do somar, ofertando inteligência, para que aprendamos a multiplicar e nos aferta mais adinte o bom senso, dentro do despreendimento do aprender a dividir.... Nas quantro operações, Deus nos deixa uma lição e somente trabalhando esta tal ignorância que nos habita em longa caminhada, é que passaremos a compreender o teor de cada aprendizado....
Deus te abençoe Josito querido no seu trabalho, naquilo que passa e que no repassar, torna-se acentuada a sua comprensão...
Beijos
Love u!

Josinaldo Lacerda disse...

Valeu Livinha,muito obragado por tudo. Diz Emmanuel que "somos uma falange de espíritos encarnados e desencarnados aguardando alta das nossas imperfeições" .No mundo estamos em luta buscando a viagem ao nosso interior para varrer as chagas de passados desditosos e construir o amanhã do espírito sublimado por luzes conquistadas.Deus nos guarde!