segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

CANTO DE LOUVOR


Após uma visita ao Vigelands Parken em Oslo,
Noroega, no dia 14 de junho, onde estão expostas,
em caráter permanente, inúmeras esculturas em
mármore e bronze de autoria de Vigeland, foi
psicografado o poema abaixo:


Senhor,
Há tanto para exaltar em Teu Nome!
A brisa perfumada que perpassa,
Rociando a delicada face da Natureza em festa,
É a sinfonia da vida em intérmina magia
De cor, de luz e de poesia
Convidando ao amor, à harmonia.

Pipilam avezitas em delicados ninhos,
Protegidas pelos carinhos
De vigilantes pais.
Movimentam-se pequeninos animais
Entre tufos verdejantes e regatos canoros...
Em tudo estão presentes
A ordem, a alegria, a paz.

No imenso tapete de relva,
Violetas perfumadas
Confraternizam com misótis azuis,
Enquanto as rosas,
Sempre formosas,
Esplendem em festões.
Jasmins e nobres tulipas,
Papoulas vermelhas e amarelas,
Delicadas e belas,
São renovado encantamento para as emoções.

O céu azul, infinito,
Com ligeiras nuvens garças,
Faz-se moldura e tela permanente,
Onde o Pintor Celeste presente
Compõe novos painéis de beleza
Enriquecendo a Natureza.

Eu te exalto, Senhor!
Contemplando os lírios brancos e puros,
As folhas de verde variado,
As árvores vetustas, frondosas,
Nos imensos naturais jardins
Que me permites contemplar,
Identificando-Te em toda parte,
Aqui estou, comovida, a Te louvar.

Amélia Rodrigues

(Do Livro, Sob a Proteção de Deus - Diversos Espíritos - mediunidade de Divaldo Pereira Franco).

Um comentário:

Livinha disse...

Oi mano querido
Como tens passado?
Como estão belas as tuas postagens
ainda mais aquelas que falam
de poesia, quando se põe em simetria seres que buscam conforto humano..
Eu ando ultimamente em poesia, o tempo todo, desde o levantar a hora de me deitar.
É maravilhoso, sim em parte é pq a poesia nada mais é do que buscas do interior na compreensão da marcha a que nos dispomos.
Por outro lado, o poeta compõe mais, quando está vivenciando justamente as horas incertas, duvidas, constrangimentos, uma nostalgia interior que nos conflita... É com certeza coisas da Alma, que inquieta volita pelas esferas enquanto o corpo descansa. mais das vezes, mesmo o corpo a labutar, a alma sain dali a levitar, deixando apenas um corpo presente, porém ausente meio a outros seres que ali estão a indagar. Mas ele não escuta, está fora dali, n'algum lugar...
Fora isto, vou levando, segurando
enquanto posso até chegar um dia a minha hora de verdadeiramente embarcar, se ter pressa, nem hora de voltar...

Bjs mano querido...
Te amo
Livinha